Qual é sua felicidade? (sobre)viver

Fazem quase 18 anos que eu sempre dizia o que queria da minha vida. Mal sabia o que é a vida.

Não tenho nem 2 décadas de vida, mas já vivi, aprendi mais do que muita gente. Ao mesmo tempo em que não aprendi quase nada, não vivi nada. Por outro lado, alguns com apenas 1 década já viveram outras coisas que eu não presenciei.

O que te faz feliz? Já parou pra pensar? Você é feliz?

Tem horas que me vejo a pessoa mais feliz do mundo, com minha família, amigos, nos momentos mais simples. Tem horas que um sorriso me faz feliz. Ir em restaurantes caros, comer umas coisas diferentes ou ir no dogão da esquina (e tirar a salsicha), me fazem feliz da mesma forma, tudo depende do meu estado de espírito/companhia.

Mas eu penso, “só” isso me faz feliz? Não posso reclamar, eu tenho saúde, moradia, não passo fome (pelo contrário), uma família que me apoia e tudo mais. Eu quero viver mais, fazer mais coisas que gosto. Tenho milhares de desejos.

Quero me cuidar, comer comidas diferentes, ir ao parque, fotografar, virar a noite com meus amigos, ouvir música alta, ir pra balada, dançar mais, conhecer novas bandas, descer uma rua de skate, jogar video game, cozinhar, tatuar, cantar mais (perder a vergonha), assistir ao menos 2 filmes por semana, viajar, conhecer lugares e pessoas, ir em shows, andar de patins, correr na chuva, fazer cursos, me apaixonar, morar na Paulista, e entre muuuitas outras coisas, trabalhar com o que amo e nunca deixar de ser quem eu sou.

Engraçado isso de “vida”, a gente acorda e está respirando, mas será que estamos vivendo ou sobrevivendo?

Se eu soubesse exatamente quantos dias de vida tenho, iria viver mais, fazendo o que gosto, sem desperdiçar tempo.

Enquanto isso penso o que realmente quero da vida. Sou loucamente apaixonada pelo meu trabalho, por muito tempo deixei de ter um corte de cabelo mais “ousado”, piercings ou pintá-lo, sempre por causa dele. Não me arrependo pois aprendi muito com isso. Não quero deixar de ser quem sou por causa do meu trabalho. Claro que, alguns cuidados tenho que tomar, já que não sei exatamente o caminho que quero seguir. Mas com certeza, quero algum que me traga mais alegrias do que arrependimentos, e não afete minhas decisões na vida pessoal e profissional.

Pra fazer tudo, preciso de dinheiro (querendo ou não, precisamos sim!), por isso não quero trabalhar com algo que não gost, mas me dê dinheiro. Quero estudar, me formar (pena que isso também requer dinheiro, e muito!), ser uma boa profissional que, se eu for demitida, terei um leque imenso de possibilidades onde possa trabalhar sendo feliz.

Não posso (nem quero) dar importância só no dia de hoje, só no momento. Prefiro pensar nas consequências, no meu futuro.

Esse ano está sendo muito útil pra eu “descobrir” a felicidade, o que me faz feliz, e o que quero pro meu futuro (que é daqui alguns meses). O que tem que mudar, o que tem que continuar, colocando na balança a importância de cada coisa.

Bom, esse texto foi um grande desabafo, que também pode servir pra muitos que passaram/passam/passarão pelo mesmo que eu heheh 🙂

Adiós!

rawwwr

ru happy

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s